sábado, 31 de outubro de 2009

Julie e Julia

Hoje o dia passou bem depressa. Encontrámo-nos com a Wioleta para irmos os três ao cinema ver o Julie and Julia.
O filme foi giro e deu que pensar. Basicamente (e sem querer revelar demasiados detalhes) na história ambas as personagens começam a fazer o que realmente as faz sentir bem que é cozinhar e são mais tarde recompensadas pelo seu talento. Penso que é o que queremos todos, não?
Depois disso demos um passeiozito à beira-rio e conhecemos um pouco da outra margem do Wisła que ainda não tinhamos conhecido.
Depois disso regressámos à residência para ver se o Ziyad já tinha respondido já que tínhamos enviado na noite anterior um email a propôr uma hora e local para irmos beber um chá. Ele não respondeu mas a certa altura telefonou-nos para o quarto a dizer que não podia porque estava cheio de trabalho para segunda. Ele está a tirar o doutoramento por isso é compreensível.
Depois, talvez devido a influências do filme que tínhamos visto, deu-nos para ir cozinhar algo mais elaborado. Fizémos crepes recheados com cogumelos, couve, cenoura e cebola, acompanhados com molho de tomate e alho. Estava muito bom e ficámos tão orgulhosos do nosso feito que até tirámos esta fotografia para partilhar com vocês :P

Humm..nhamy!

Miejsce Polska
Hoje durante o passeio à beira-rio com a Wioleta, falámos sobre desenhos animados e séries que passaram na Polónia e em Portugal. Chegámos à conclusão que houve algumas que passaram em ambos os países, como a Sailor-Moon, a Escrava Isaura (é verdade, foi a 1ª telenovela brasileira a passar na Polónia e parece que teve um sucesso gigantesco, toda a gente via a novela!), a Abelha Maia, a Heidi, as Tartarugas-Ninja,... Uma data deles, agora a parte mais grave é que eles não sabem o que é o Dragon Ball e não conhecem o Songoku!! (Pobrezinhos...). Pois é, mas a parte mais engraçada vem agora: parece que é comum haver pessoas com um apelido que em português significa Abelha e também é comum o nome Maya para as meninas. Penso que já perceberam a ligação, existe por aqui uma geração de “abelhas-maya”, ou neste caso... Maya Abelha!
Pensamento do Dia
Há os lava-tudo e há os mata-tudo! Tenho medo dos germes que isto não mata... Se é que existem!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Olá Edyta

Como não tirámos fotos hoje e sabemos que o post está longo demais, pusémos fotos aleatórias para torná-lo menos aborrecido! =D
Então hoje o dia começou com a aula de polaco de manhãzinha. Pelas 9:30 já estávamos na sala a ser intensamente questionados pela professora. Como eu estava cheio de sono achei a aula muito gira. Quando ela me perguntava coisas que eu não sabia, limitava-me a rir e dizer que não sabia :P Depois disso morfámos um precel e fomos os dois para a Universidade. Eu fui para as vocalizações e hoje finalmente comecei a analizar o reportório da passarada.
(teoria adiante, quem não quiser saber mais sobre vocalizações é favor ignorar este parágrafo que se segue)
TEORIA: cada indivíduo pode cantar muitas canções diferentes (e em algumas espécies esse número pode ser considerado quase infinito, ah grandes DJs!) mas o número de elementos que a ave sabe misturar não varia (na teoria, já que há passarada que aprende elementos novos ao longo da vida, melros por exemplo :p) por isso, apesar de a ave poder misturar diferentes elementos e assim criar canções diferentes, continua a ter um número fixo de peças com as quais pode jogar. A este número fixo de peças chamamos o reportório do bixo.
Claro que isto é muito giro de analizar mas o que já não é giro é estar a analizar centenas de canções, cada uma com uns 7 ou 8 elementos que podem ser sempre diferentes e quando não são, tenho que me lembrar onde raio é que já ouvi aquilo porque se não conto como um elemento novo quando não o é! Ah! e isto tudo é só para um passaroco e eu tenho 26 machos no total lol Mas não deixa de ser muito giro claro!! XD
O meu dia foi terrível, como ele disse, a aula foi bem de manhã e fomos abalrroados com perguntas em polaco, nós não tínhamos estudado e com o sono que tínhamos, digamos que a aula para mim correu bastante mal! De seguida, voltei a tentar “descascar” as raízes para sacar as ectomicorrízas da superfície das raízes... Ora bem, tendo em conta que não sei bem perceber quais as raízes com e sem micorrizas, nem percebo quais são os morfo-tipos, tendo também em conta que qualquer pinça de pontas finas esmaga completamente as mini-raízes e que no microscópio não consigo identificar células (era suposto identificar os tipos de células dos diferentes morfo-tipos ao microscópio, para ir percebendo as diferenças entre espécies...). Acrescentando o facto de estar cheia de sono, podemos concluir que foi um trabalho muito mau de se fazer. O que eu fiz passada meia-hora de tentativas sem sucesso foi pegar nas minhas coisinhas, e ir para o gabinete estudar ectomicorrizas!

Depois fomos encontrar-nos com uma rapariga chamado Edyta que a Patrícia conheceu através da Paulina uma das colegas lá do laboratório. A Edyta fez Erasmus em Coimbra o semestre passado e estava com saudades de falar português por isso é que fomos convocados para lidar com esses assuntos. Depois de a apanharmos à frente da igreja na praça central fomos para um bar que em português chamar-se-ía A Vaca Sagrada e está situado numa das ruas principais de Cracóvia mas é mais um daqueles segredos que só sabe quem já foi convidado por um amigo a entrar lá. Para chegar ao bar é preciso entrar por um corredor nada convidativo e depois descer várias escadas até uma cave em pedra e tijolo aparentemente super antiga. O ambiente lá era muito acolhedor, intensamente perfumado com incenso. Bebemos um cházito numas tigelinhas em barro e falámos da vida em Cracóvia e em Coimbra, das diferenças e semelhanças. Foi bom.

Miejsce Polska

A Edyta contou-nos que por o ensino na Polónia ser gratuito, há pessoas que no fim de tirarem o primeiro curso, continuam os estudos tirando outro curso. Isto faz sentido porque é muito frequente por estas paragens haver o preço normal e o preço para estudante, bem mais barato que o normal claro. Para mim pareceu-me ideal o ensino ser grátis, mas depois ela mostrou um lado mau que eu não tinha visto que é as pessoas não se sentirem obrigadas a ir às aulas ou a estudar porque não perdem nada (dinheiro isto é) com isso. Não há investimento monetário nenhum e visto assim até faz sentido. Talvez o melhor seria haver um custo embora que reduzido para agradar a gregos e a troianos.

Pensamento do Dia: "In conclusion, there are many strange things happening in the soil" Isto é o que está escrito no final de um capítulo do livro que eu ando a ler sobre micorrizas...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Hoje não há título

Ora bem, finalmente hoje acabei de analisar as preparações das raízes, mas a minha orientadora não me dá descanso! Já comecei a analisar as raízes que recolhemos ontem, a ideia é encontrar vários morfo-tipos de ectomicorrizas, de modo a compreender diferenças entre elas e aprender a identificá-las. Para quem não sabe, as ectomicorrizas são um tipo de micorrizas que formam uma “luvinha” à volta da raíz da planta, e a minha função é “descascar” a raíz, ou seja, retirar a ectomicorriza da raiz para poder analizá-la ao microscópio. Foi um trabalho bastante inglório! Imaginem descascar uma raíz mínúscula com uma pinça e uma agulha, o resultado? Puré de raíz! Cada vez que tentava pegar numa raíz com a pinça, a dita ficava toda esmagada, não saíu nada de jeito, mas bom, amanhã há mais!

Já eu estive a rever todos os ficheiros que já tinha analizado porque comecei a ver a canção do melro com outros olhos e por isso ficou mais claro quando é que se considera que uma canção começa e a acaba. O jantar cá pela resi foi vegetariano. A Patrícia foi à net procurar uma receita que tivesse os ingredientes que estavam no nosso frigorífico e saíu o que cozinhámos para o jantar. Era alho com tomate maduro para dar o molhinho mais cenoura às rodelas, couve lombarda às tiras, cogumelos e arroz para acompanhar. Estava muito bom e enquanto comiamos alguém bate à porta e era nada mais nada menos que o "senhor do curdistão"! Obviamente que pedimos que ele entrasse e ele, vendo que nós também estávamos calçados, lá entrou (sem se descalçar isto é). Então falámos com ele e parece que ele está a ter uns problemas porque está a tirar o doutoramento e ninguém o ajuda com isso. A investigação dele (se bem percebi) centra-se em analisar sedimentos do Quaternário para procurar uns indicadores de que o solo seja bom para agricultura ou até extração de minério ou algo assim mais para o valioso. A meio da conversa lá lhe perguntei o nome e, para não haver esquecimentos, pedi para ele escrever num postip. Chama-se Zijad Elias e escreveu também o email dele.
Enquanto faláva com ele fui me apercebendo que temos muita sorte em estarmos aqui, na Europa porque ele não se cansava de repetir que agora que estava na Europa tinha que aproveitar porque só tinha 4 anos para o projecto dele e que se não corresse bem ía ter problemas.
Entretanto ele viu que eu tinha o Google Earth aberto algures na região do Mar Negro e foi rapidamente apontar a terra onde ele tinha nascido que afinal não era nada Curdistão mas sim Iraque. (Curdistão parece que afinal era o amigo dele!) Então no meio do que para nós era deserto até perder de vista, ele lá encontrou a cidade onde estava a Universidade dele e mais à esquerda a terra onde nascera.
Ficou combinado irmos tomar um chá ou algo do género com ele no Sábado.
Miejsce Polska
Não sei se se percebe a dimensão do corredor (que na primeira fotografia vai de uma ponta à outra) mas todos os pontinhos que se vêm são gralhas na sua migração diária em direcção aos jardins que cercam o centro. Aí elas abrigam-se para passar a noite.
Pensamento do Dia:

O senhor do Curdistão morreu...

... e das suas cinzas nasceu Ziyad Elias, o senhor do Iraque!!

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Saída de campo e despedida

A nossa casa de banho está com um terrível odor a vomitado! Acreditem que um quadradinho daquele tamanho sem arejamento e a cheirar fortemente a vomitado não é agradável, mas enfim... Vamos falar de coisas mais agradáveis! Hoje enquanto trabalhava nas minhas infinitas micorrizas, perguntaram-me se queria ir ao campo acompanhá-las. Eu não sabia bem o que iria fazer, mas é lógico que aceitei! Fomos as 4 no carro da Katarzyna (Katarzyna, eu, a Paulina e a Kasia) e depois de cerca de 45 minutos de viagem chegámos à zona industrial, onde supostamente apenas crescem plantas com ajuda de micorrizas. Praticamente todas as plantas, desde as herbáceas às árvores de grande porte foram introduzidas por elas naquele local (sempre colonizadas por micorrizas, claro!). Escavamos, recolhemos raízes, raízes e raízes. Não posso dizer que foi divertido, mas foi engraçado, deu para falar mais com as minhas colegas e pôr-me à vontade com elas (no laboratório ninguém fala!). Depois fomos procurar orquídeas especiais, mas sem sucesso, devido à época do ano, paciência! Contudo, no caminho de volta vimos Viscum album, uma planta parasita do xilema de outras árvores. Nunca tinha visto ao vivo e é tal e qual como imaginava: umas bolas verdes e grandes no topo de árvores. Nesta altura do ano com as árvores e despirem-se, é facilmente identificável esta planta! Quando regressámos à faculdade tive que ir andando para a aula de polaco.
Miejsce Polska
Esta é uma das igrejas que se podem ver ao longo da rua Grodzka. É extremamente antiga (esqueci-me da data certa) e em tempos em que as casas à volta eram todas em madeira e por isso susceptíveis a ataques com fogo, as pessoas refugiavam-se atrás das suas paredes de pedra. Como podem ver, a própria igreja tem seteiras por isso também deve ter funcionado como um forte para defender o povo.

Pensamento do dia: O que nos faz chorar nas despedidas não será a pessoa ir-se embora mas sim a ideia errada que ficaremos sem ela para sempre e que seremos infelizes por isso. A minha mãe regressou hoje a Portugal e já sei que chegou bem.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Minas do Sal e Cultura Judaica

Hoje fomos todos às minas de sal em Wieliczka. Encontrámo-nos com a minha mãe e fomos de transporte privado os 4 (saiu mais barato assim que se comprássemos 4 bilhetes para irmos de minibus) até às minas. Aí comprámos bilhete e num instante já estávamos a descer os 300 e tal degraus até lá abaixo.
Ao contrário do que eu esperava aquilo era mesmo uma mina (ou seja, não tinha nada de natural para além do sal que estava nas paredes). Outra coisa que a distinguia das outras era as construções esculpidas no sal feitas pelos próprios mineiros que quiseram decorar as várias câmaras da mina.
Apesar de mostrar mal ou bem como era a vida nas minas que datavam de 1300 e tal, achámos que estava tudo demasiado virado para o turismo e a prova disso é que havia lá dentro um bar com chocolates, um restaurante, várias lojas de souvenirs, etc. Apesar de tudo isto gostámos de lá ir.
Depois fomos comer qualquer coisa pelo caminho em direcção à faculdade mas quando lá chegámos, a Patrícia tinha o microscópio ocupado e o gabinete todo de pernas para o ar porque estavam a instalar lá os cabos para a internet e eu tinha todos os gabinetes daquele andar fechados. Sem podermos trabalhar, voltámos para casa e aproveitámos para fazer os tpcs de polaco e dormitar um pouco porque logo de seguida voltámos ao centro para irmos nós mais a minha mãe e o parracho a um concerto de musica tradicional judaica. O concerto foi num hotel e a banda era composta por 3 musicos que tocavam um contra-baixo, um acordeão e um clarinete. A musica era muito animada e até dava vontade de dançar ali mesmo. Sem poder fazer isso, lá bati o meu pézinho e mexi os dedos ao ritmo da música.
Depois disso aproveitámos o facto de estarmos no Kazmierz (o distrito judeu de cracóvia) e jantámos num restaurante judeu que estava por lá. Comeu-se muito bem.
Miejsce Polska
Não existem só cogumelos na floresta! No relvado mesmo em frente à faculdade existem cogumelos enormes e variados!
Este tem mesmo pinta de venenoso =p

Pensamento do Dia: Na mina existem várias lojas de souvenirs mas não estão todas juntas. Elas estão afastadas uma certa distância que foi certamente calculada para ser a distância suficiente para o cliente médio ter tempo para se arrepender de não ter comprado o que queria logo na primeira loja. Para "apanhar" a malta mais resistente, no final de tudo existe uma loja que tem exactamente o mesmo que tinham as outras lojas todas, ou seja, o que tu querias mesmo comprar mas não compras-te, agora volta para te assombrar. Vamos sacar o dinheiro do turista!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O dia da caixinha de surpresas!

O que ao início aparentava ser um dia normal e rotineiro, não o foi nem um pouco! Acordei às horas do costume, fui para a faculdade como de costume, e passava pouco mais de meia-hora (estava eu na casa-de-banho no meu intervalo para o xixi =P) quando a minha orientadora entra na casa de banho, pergunta-me se eu estou lá dentro e se eu quero ir assistir a uma cerimónia ao edifício principal da universidade, segundo ela era uma cerimónia com professores “with funny hats”. Já tinha visto esses tais “funny hats”, mas ainda não tinha assistido a nenhuma cerimónia! Aceitei ir, claro está, só tive tempo de largar a bata e pegar no casaco – estávamos atrasadas! Fomos no carro da Katarzyna (a minha orientadora), eu, ela e a Kasia, uma estudante de doutoramento, e não batemos porque não calhou, a Katarzyna ia furiosa ao volante para ver se não nos atrasavamos mais ainda! Quando lá chegámos estavam alunos com os tais trajes e iam receber os diplomas de conclusão do mestrado, a Paulina, uma colega lá do laboratório ia recebê-lo das mãos da Katarzyna. O salão é um espanto, não vi nada assim nem na Wawel! Lindíssimo! Claro, assim que soube que a cerimónia ia demorar o tempo suficiente do Pio ir lá ter, mandei-lhe uma SMS para ele vir também assistir e fotografar, aqui fica uma delas: Os trajes não são bem trajes, são uma capa que se usa por cima da roupa, e aquele chapelinho simpático. Pelo que percebi os alunos vestem preto e os Doutores vestem outras cores (neste caso o verde porque eram todos de Biologia). Gostámos muito da cerimónia! A cerimónia terminou por volta da hora de almoço, e como o Pio já tinha combinado ir almoçar com a mãe, eu acabei por ir com eles, já que não estava na faculdade. Outra das surpresas do dia foi o tempo (o presente do Chico chegou hoje! =D), chegou a estar sol e céu azul, não havia vento, o ideal para subirmos finalmente ao balão! E foi o que fizemos após o almoço.

Depois de tudo isto, voltei para a faculdade, mas só fiquei por lá cerca de uma hora, pois tinha que voltar para o centro para a aula de polaco! A aula acabaria às 18h10, e pelas 19h iriamos todos a um belo concerto de música erudita numa pequena igreja (Igreja de São Giles). O concerto foi maravilhoso, foi uma hora de música apenas com instrumentos de cordas: 2 violinos, uma viola-de-arco, um violoncelo e um contra-baixo. Tocaram músicas muito conhecidas num ambiente muito próximo, o público era reduzido, o espaço pequeno, e a acústica óptima, foi um espectáculo simples e bonito. Adorámos!

Disto não tirámos fotografias porque sinceramente não valia a pena. Por um lado não queríamos incomodar as outras pessoas e muito menos os musicos e porque também na fotografia não ía estar registado mais do que as caras dos musicos e a igreja por trás. Por isso aqui fica uma das musicas que foram lá tocadas.

http://www.youtube.com/watch?v=NlT8yeEYbMs

Após a música erudita, fomos jantar a um restaurante chiquíssimo (não estávamos nada à espera, escolhemos aleatoriamente mas foi bem escolhido!). Chiquíssimo é mesmo o termo, daqueles cheios de etiqueta, cujo menu tem pratos escritos em francês (foi uma dificuldade perceber o que vinha aí, na verdade!) e a empregada tratava-nos por Madame, Mademoiselle e Monsieur...! Enfim, de vez em quando sabe bem, não é? Os pratos, sinceramente temos pena de não os termos fotografado, imaginem o que era fotografar os pratos num sítio daqueles! Lol Quanto à comida, era divinal, não era só aparência!
Miejsce Polska
Finalmente consegui uma fotografia das duas espécies de gralhas mas juntas para poder comparar. Ao centro está uma Gralha-calva (Corvus frugilegus) e ao lado estão duas Gralhas-de-nuca-cinzenta (Corvus monedula). Como podem ver a Gralha-calva tem o bico sujo com terra porque nesta altura do ano andam todas atarefadas a apanhar/roubar nozes ou seja o que fôr que possam enterrar para quando vier a neve e tapar tudo, elas possam confiar na sua excelente memória para encontrar as nozes de volta.
Pensamento do Dia: "To być or not to być".
(inventámos esta versão porque se lê quase igual a bitch e é um verbo que quer dizer Ser)

domingo, 25 de outubro de 2009

Conhecendo melhor a cozinha Polaca

Hoje fomos almoçar a um restaurante verdadeiramente polaco com a Wioleta. Provámos tudo e mais alguma coisa entre as quais umas couves recheadas com carne e arroz, cogumelos fritos, sopa de tomate, enfim, a ideia foi mesmo experimentar tudo e mais alguma coisa e acho que cumprimos a missão. Depois disso fomos conhecer o Collegium Maius, o tal edifício super antigo e importante da universidade que nos acolheu. O giro é que quando lá chegámos estava perfeito para tirar uma fotografia de grupo usando o tripé mas mal comecei a desmontar o equipamento, veio um segurança dizer que não podia tirar fotografia usando o tripé! Ou seja, eu podia fotografar à vontade mas não podia era usar o tripé lol Depois fui lá com a Wioleta perguntar o porquê daquilo e foi-nos dito que era porque era considerada fotografia profissional se usasse tripé e para isso precisaria de autorização do reitor! Enfim, não tirámos fotografia nenhuma e fomos mostrar mais uma parte da universidade. No jardim despedimo-nos da Wioleta e ficámos por lá a admirar as gralhas que chegam aos milhates, todas as tardes, aos jardins do centro! É um espetáculo digno de se ver não só a chegada como o sítio por onde elas passam porque é um corredor fixo, é só estar lá e vê-las passar!
Depois fomos a uma cafetaria a sério, ou seja, um sítio especialmente antigo e conhecido que não precisa de publicidade porque é conhecido só pela sua qualidade. Lá dentro tem uma decoração muito própria, com imensas cafeteiras em prateleiras a cercar as várias salinhas. A ementa mais parecia um livro com café de todo o lado, de todos os sabores e servido de todas as formas! Eu pedi chocolate quente lol.
Depois no caminho para o hotel em que a minha mãe está instalada passámos por um dos muitos músicos da rua Florianska, uma das mais conhecidas de Cracóvia. Este miudo tocava mesmo muito bem e dedilhava com imensa perícia e confiança!
Miejsce Polska
Aqui levam a publicidade mesmo a sério e esta deve ser uma das coisas mais extremas disso.
Pensamento do Dia: Bem pessoas.... venho desta forma informar que afinal a forma correcta não é nem precel nem precle lol. Afinal a primeira é apenas a forma no singular e a segunda é a forma no plural! Malditos precle.

sábado, 24 de outubro de 2009

22 Anos

O dia começou cedo com a Patrícia a surpreender-me com um bolo de anos com 22 velas acesas e ao mesmo tempo que cantava os parabéns.
(Não fotografei com as velas acesas porque umas poucas estavam já a cair e ainda pegávamos fogo à residência lol)
Depois disso ainda tive que procurar no quarto (como se fosse um quarto muito grande) pelo meu presente que estava ironicamente debaixo da minha cama e de dentro de uma rica caixa saíram uns phones daqueles grandes, Dj style. (só mesmo para fazer concorrência com os do Excelentíssimo claro!)
Depois correu tudo muito bem e a caminho da Wawel encontrámos um Peto-real! Uma espécie de pica-pau, mesmo ali nos jardins da cidade!
Chegados à Wawel fomos comprar bilhete para uma visita guiada que só pôde ser às 15:30. Enquanto não chegava a hora, aproveitámos para ir almoçar a um restaurante tradicional que se chama Kawaleria Szarza Smaku que é algo como Cavalaria ataque do sabor! A comida realmente estava mesmo muita boa e comemos entradas, prato principal e sobremesa. Grande escolha sim senhor!
Depois disto fomos até à Wawel para ter a nossa visita guiada que foi também muito interessante porque a guia que nos apresentou os aposentos reais falava com bastante orgulho de tudo o que íamos vendo nas várias salas.
Como o tempo não permitiu, não houve passeio de balão (quem sabe amanhã) e depois voltámos até à praça central onde fomos ao mercado que existe no centro. Lá apreciámos a joalharia de ambar, tradicional de Cracóvia.
De seguida andámos por aí e acabámos num café onde marchou um cházinho e umas brutas ciabatas (pão tostado com acompanhamentos e uns vegetaizitos para dar cor)
Miejsce Polska
No centro de Cracóvia existem vários clubes e restaurantes que ainda mantêm as antigas caves. Esta descobrimos hoje no dentro do tal café, parecia que tínhamos acabado de entrar numa passagem secreta ou algo assim!
Pensamento do Dia: Afinal não é Pretzel nem Precel... é Precle...
Sim, esta lingua dá connosco em doidos!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

A minha mãe está cá!

Hoje pelas 9h30 já estavamos na nossa aula de polaco, mais uma vez éramos quatro: nós os dois, a Anabel e a professora, que nos avisou que a turma acabaria caso se mantivessem apenas 3 alunos! Esperemos que isso não aconteça, pois a professora é óptima e o horário perfeito! Depois da aula comemos um pretzel para matar a fome, eu fui para a faculdade e o Pio foi buscar a mãe ao aeroporto.
Hoje fartei-me de trabalhar no laboratório, para além das observações micorrízicas fui convidada a ir assistir ao trabalho que a Katarzyna está a fazer. Muito interessante, ela adora fungos, e basicamente esteve a inoculá-los e depois identificá-los. Os fungos vieram directamente da Áustria, de uma zona imensamente poluída, e são fungos que ajudam as plantas a sobreviver nessas condições hostis. Muito interessante! Após isto, fui ter com o Pio e com a mãe dele ao Galeria Krakowska, o Centro Comercial cá do sítio, e depois demos uma voltinha pelo centro e demos-lhe a conhecer algumas das zonas mais emblemáticas da cidade velha.

(Nenhuma das fotos foi tirada hoje)

Miejsce Polska Já falamos em precels, mas penso que ainda não explicamos o que são! Bom, para começar há que dizer que há um conflito entre os habitantes de Cracóvia devido ao nome atribuído a esta iguaria, uns chamam-lhe precel (lê-se pretzel, por isso é que está mal escrito nos outros posts!)e outros chamam-lhe obwarzanek. Nós chamamos-lhe pretzel porque é mais fácil pronunciar (faz lembrar o brezen alemão). Os pretzels são uma espécie de pão em forma de argola, com vários sabores: existe o precel z makiem (precel com sementes de papoila), precel z sezamem (com sementes de sésamo), precel z solą (precel com sal), precel serowy (precel com queijo por cima) e precel pikantny (precel com picante). Existem barraquinhas por toda a cidade a vender estes deliciosos precels! Vendem-se normalmente por 1,30 zł, uma verdadeira pechincha!

(A foto não é minha. Biba o google)

Pensamento do dia: Dizem que amanhã faço anos.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Sei lá!

Tem estado bom tempo! Ontem e hoje fez... SOL! É verdade, sol! Mas... um sol fracote, não pensem que andamos por aqui a tostar, muito pelo contrário, hoje pela manhã estava um nevoeiro mesmo a sério que só desapareceu lá por volta da hora do almoço. Quanto à temperatura, agradável. Pude sair à rua sem nada na cabeça, sem collants por baixo das calças, sem luvas e apenas com duas camisolas por baixo do casaco, mas com cachecol, claro!
Só esperamos que o bom tempo se mantenha até sábado! Sábado, para quem não se recorda é o aniversário do Pio, e como tal, a mãe dele vem cá para celebrar a ocasião (chega amanhã), e claro, gostaríamos de ir ao famoso balão! O único problema é que ele só está no ar quando há bom tempo... O Pio já andou a ver as previsões no tempo, mas parece que pode fazer sol ou tempestade! =) ou 8 ou 80, os meteorologistas são muito engraçados!
Bom, e agora quem se lembra de como o café é bom na Polónia? Pois é, hoje tentámos fazer peixe para o jantar, e podem crer que o peixe aqui não tem sabor! É estranho, mas verídico! Já para não dizer que é difícil comprar peixe por aqui, há os douradinhos, filetes panadas e salmão (tudo congelados, é claro!). Encontrámos na secção do peixe algo que se assemelhava a um sabonete congelado! Como não fazemos ideia de como cozinhar tal coisa, não arriscámos. Para acompanhar o peixe sem-sabor, comemos umas batatas cozidas, cenouras e couves de bruxelas, e claro, tentámos temperar com algo que na embalagem dizia ser azeite. Surpresa: Não sabia nem parecia azeite (provavelmente por termos comprado o mais barato que havia). Penso que foi dos piores jantares até hoje!
Hoje o Pio voltou a tentar fotografar corvídeos, mas sem sucesso. Quando tivermos a colecção, postamos! Outra coisa que não dissemos é que estamos a tentar fazer uma colecção de freiras para postar! Existem imensas “espécies”, mas são ainda mais difíceis de fotografar que os corvídeos (ainda só temos fotos de costas), por isso talvez tenhamos a colecção completa no último post de todos! Lol.
Miejsce Polska
Já que falei tanto de sol e de bom tempo, gostaria de partilhar algo convosco: por aqui vêm-se imensos solários! Pois é, o sol escasseia tanto por estas paragens, que a malta tem que recorrer ao sol artificial! Não é raro encontrar senhoras cor-de-cenoura na rua... Parece que caíram numa lata de tinta! Hihihi Não é para sermos mauzinhos, mas nós até olhamos várias vezes para perceber o que se passa com as senhoras e claro, concluímos logo a seguir que foi solário a mais! Pensamento do dia: O café não presta, o peixe não tem sabor... Mas os Pretzels são MUITO bons! =)

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A professora de polaco rula!

Ontem à noite notámos que a vizinha tinha imensas tretinhas de higiente na casa-de-banho. Mesmo muitas, demasiada coisa para uma pessoa só. Usámos isso para falar mal dela mas hoje de manhã percebemos que afinal não era tudo dela e temos uma vizinha nova. O nome dela é estranho e não sabemos como se escreve mas parece muito simpática e é do norte da Polónia.
A primeira pessoa a ir à casa-de-banho foi a Patrícia e quando regressou disse que não se podia respirar lá dentro por causa do perfume da nossa vizinha. Quando lá fui eu mesmo, realmente vi que parecia que tinha havido ali uma guerra química porque a atmosfera era mesmo tóxica!
Ao contrário de ontem, hoje o dia rendeu bem! A Susana mandou-me um paper que explicava o que eu tenho perguntado a toda a gente mas ninguém me soube responder que é a estrutura geral das canções do melro! Sabendo isto fez-se luz nas minhas vocalizações e logo a seguir pensei que teria que repetir tudo de novo mas felizmente que tal não foi necessário! Por isso continuei a tratar das ditas até à hora em que fui levar a roupa a lavar.
Mais uma vez atendeu-me a senhora super simpática que não diz uma palavra em inglês e que por isso, naquela lavandaria, funciona tudo à base de linguagem gestual avançada. Depois de meter a roupa toda na máquina (nem sei como é que ela coube toda!) a senhora disse para eu voltar lá às 13h mas eu regateei e consegui que ela pusésse só para o meio dia. No caminho para o quarto (que implica passar pela rua) vi que tinham andado a lavrar a terra em frente à residência e que andavam por lá todos os tipos de corvídeos que eu tenho tentado fotografar para pôr aqui no blog! Claro que quando voltei lá abaixo todo equipado as bixas já tinham fugido e só havia uma que mal me viu apontar a máquina, fugiu logo! Por isso (ainda) não há fotos de gralhas.
Depois disto fui almoçar com a Patrícia à Universidade e lá pelas 14:30 fui para o gabinete da Joanna onde lhe mostrei o tal paper que a Susana me mandou. Ela ficou surpreendida por ser deste ano e aliviada por não ser exactamente sobre o que eu estou aqui a fazer. Ora isto levou-me a pensar que a ideia é que o que eu estou a fazer acabe em paper o que é muito bom claro está! :D (isto se o meu nome aparecer algures na primeira página e se não aparecer vai haver sessão de pancada porque além do Rafał que gravou as vocalizações, mais ninguém teve nada a ver com o trabalho!)
Depois fui falar com o Mariusz e ele apresentou-me uma investigadora que vai fazer análise de vocalizações de Zebra Finches e que nunca tinha mexido com o programa por isso eu estive a transmitir-lhe o pouco conhecimento que tenho. Fiquei impressionado por poder haver mais malta algures no mundo a fazer exactamente o mesmo que eu que será basicamente relacionar as vocalizações com o êxito reprodutor de melros. Fez-me sentir como se estivesse numa corrida sem tempo a perder! Claro que passados 5 minutos já estava tudo na mesma e continuava ao meu ritmo normal ehe.
Lá pelas 16h fomos os dois para a aula de polaco (a tal que felizmente conseguimos mudar) e depois de confirmar a sala, lá entrámos e nos sentámos. Felizmente para nós que a professora é (realmente) boa. Ora naquela sala estávamos só nós os dois e uma francesa de nome Anabel por isso foi uma aula muito personalizada. Além disso a professora é muito melhor que a anterior e deu-nos ali matéria que nunca mais acabava além de que usava um método muito melhor que envolvia repetirmos as palavras depois dela muitas vezes e punha papeis no quadro que diziam por exemplo: "Não percebi" ou "Podia repetir?" isto para nós não termos desculpas para não falarmos só polaco naquela aula!
Gostámos muito e voltámos para casa todos cheios de pica para aprender polaco! Chegados a casa fizémos uma imitação desastrosa de uma tortilha com o resto das verduras cozidas do jantar de ontem. Sabia bem mas levou coisas a mais e por isso não era tortilha nem nada.
Miejsce Polska
Apesar de não ser um exclusivo polaco (que é a ideia desta secção do post) existem em todas as casas, cozinhas, escritórios, laboratórios, gabinetes, etc. umas máquinas muito úteis. Nós chamamos-lhes as "máquinas do chá" e basicamente fervem água em menos de um minuto! Ora não sei como é em vossa casa mas eu quando quero ferver água para o chá por exemplo, deixo uma espécie de cafeteira ao lume e vou para a sala ver televisão porque já sei que aquilo vai demorar! Com esta máquina do demo basta carregar no botão que aquilo ferve logo a água! Já tentei ver quantos watts é que aquilo deve precisar para fazer uma demonstração tão impressionante mas não encontrei nada que satisfizesse a minha curiosidade!
A foto claro que não é minha.
A parte "polska" era apenas dizer que este pessoal é viciado em chá. Bebem todos os tipos de chá e a qualquer hora do dia, por isso usam estas máquinas para o fazerem rapidamente.
Pensamento do Dia: Não sei se já tinha dito isto mas o café aqui é muito mau! Ao ponto de não se conseguir beber até ao fim!

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Mudança de turma

Boas novas, aliás, poucas mas boas, o dia resumiu-se muito ao facto de termos conseguido trocar o nosso belo horário do curso de polaco! Sim, para além de trabalharmos, hoje não fizemos mais nada que mereça ser publicado! Ainda tentei inventar um TPC de polaco para treinar quando cheguei a casa... Mas os nossos conhecimentos são tão limitados que não consegui fazer o primeiro exercício do livro inteiro! Enfim... Amanhã é a próxima aula, esperemos ser iluminados pelo conhecimento, e já agora que a professora seja boa. Quanto aos colegas, só vi uma espanhola na lista (mudámos radicalmente!). Voltando ao trabalho, a minha orientadora emprestou-me um óptimo livro sobre micorrizas. Na verdade é mesmo bom, explica tudo sobre elas na teoria e na prática, para além de ensinar a tratar os dados, é simplesmente perfeito! Vou ter que lê-lo de uma ponta a outra, claro está! Ela emprestou-mo mas antes de eu me vir embora ela disse: “E não te esqueças, esse é o único exemplar da Polónia!”. Sim... Tenho de tratá-lo com carinho! E bom, como não temos mais o que escrever, vamos entreter-vos com um vídeo que fizemos no Parque Nacional de Ojców, no sábado passado. Esperemos que gostem! =)

video

Miejsce Polska
Quando fomos a Zakopane, não partilhámos convosco (por esquecimento nosso) a seguinte foto:
Pois é, tomates na linha do comboio (corajosos!)... O Farmville chegou a Cracóvia! Pensamento do dia: Será que dá para fazer "torradas" só com uma frigideira? Sim, estamos com saudades de torradas com manteiga.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Primeira aula de Polaco

Acordámos cedinho e enquanto a Patrícia foi para a Universidade eu fiquei por aqui a tratar das vocalizações. Como andamos numa de poupar no que se pode (porque pagar estadia, alimentação e afins até que sai caro) eu fui fazer o almoço para comermos os dois na sala de convívio do departamento Ciências Ambientais, à qual temos acesso com os nossos cartões Vips. Almoçados, foi cada um para seu lado. Eu passei o tempo todo a despaxar vocalizações e lá para as 16h fomo-nos embora para termos tempo de comprar os livros para as aulas de polaco.
Por sorte démos logo com a loja mas lá não haviam os livros que precisávamos por isso fomos apontados uma livraria que talvez tivesse. De facto tinha mas a surpresa foi na hora de pagar. 203 zł para os dois ou seja, uns 25€ para cada um. Aprender polaco sai caro. Depois fomos andando nas calmas em direcção à escola onde teríamos a nossa primeira aula de polaco. Como chegámos lá mais cedo aproveitámos para ver os horários das outras turma se vimos uns dois ou três que sem duvida seriam mais indicados para nós por isso vamos lá voltar amanhã para ver se conseguimos trocar!
Quando já eram 18:30 fomos para a sala de aula onde já estava a professora e uma françesa. Depois disso foi chegando aos poucos o resto da turma que é quase só espanhóis.
A primeira aula foi para aprender a dizer como nos chamamos (primeiro nome e apelido) de que cidade e país somos e para saber fazer essas perguntas a alguém. Também aprendemos a falar na terceira pessoa do singular. Por exemplo: Ela é de Espanha. Enfim, coisas muito básicas mas ao mesmo tempo muito difíceis porque tínhamos que dizer isto em frente de toda a gente e pelo menos para mim foi difícil responder às perguntas que me eram feitas em polaco sem olhar para os apontamentos primeiro. Uma coisa tão simples como Ele é Português, em polaco transforma-se num horrível On jest Portugalczykiem que soa a Portugal Chicken, se fôr mal pronunciado! lol Claro está que eu disse mal à primeira e toda a gente se riu da minha pessoa.
Depois da aula fomos num instante ao supermercado onde nos atafulhámos das coisas essenciais e de mochila carregadíssima voltámos para casa. Aí cozinhámos outra vez um prato veggie com pimento, rebentos de soja, feijão, couve lombarda e cebola. Estava muito bom e quase não se suja loiça nenhuma o que também dá jeito.
Miejsce Polska
Estão umas pêras espalhadas pelo post por algum motivo. Pois é, por aqui vendem-se umas pêras muito cornudas lol
Pensamento do Dia:
Jestem z Portugalii - Eu sou de Portugal

domingo, 18 de outubro de 2009

Explorando o Kazimierz

Hoje tinhamos combinado com o Tomek e com a Wioleta encontrarmo-nos na parte judia da cidade (que ainda não conheciamos) para mais uma tour cultural. Infelizmente o Tomek adoeceu, e mais uma vez contamos com a bela companhia da Wioleta para nos mostrar um pouco mais da sua terra natal durante a tarde. A Wioleta contou-nos um pouco da história do Kazimierz (esta zona da cidade), ao que parece antigamente era uma cidade vizinha de Cracóvia até à guerra com a Áustria, onde ambas foram fundidas numa única, hoje conhecida como Cracóvia (ou Kraków, em polaco). Antigamente esta cidade era habitada por cristãos, porém, durante o séc.XVII, quando muitos países europeus decidiram expulsar os judeus dos seus países, a Polónia foi um dos países que acolheram esses mesmos judeus. Muitos deles instalaram-se nesta zona da cidade, que agora se chama “bairro judeu”, aqui há muitas sinagogas, os nomes das ruas são igualmente judeus, e ao que parece, durante uma semana em Junho há uma grande festa nesta zona da cidade, é a maior festa judia do mundo, segunda a Wioleta! Ela apresentou-nos alguns pontos chave desta região, mostrou-nos o bar mais famoso do bairro judeu (chama-se Alchemia, Alquimia em português) e tem uma decoração muito singular, fazendo-nos lembrar uma casa antiga, com retratos antigos a preto e branco nas paredes, papel de parede escuro, armários velhos, uma cozinha antiga muito típica. Tirando o tabaco gostei muito do ambiente, achei-o acolhedor. Por fim acabamos no bar que serve o melhor chocolate quente de Cracóvia. Adorámos, havia imensos sabores, e a escolha foi difícil, mas prometemos lá voltar para provar as outras variedades! J Enquanto lá estivemos, a Wioleta falou-nos do Natal na Polónia, muito mais tradicional do que o nosso, com muitos costumes seguidos à risca ainda hoje! Ficámos com muita vontade de conhecer de perto este Natal polaco! Falou-nos também da passagem de ano cá, e nós contámos-lhe os costumes portugueses no Natal e na passagem de ano. Foi uma boa troca de informações! Por fim, quando saímos, já eram 20h, por isso em vez de irmos para casa fazer o jantar, decidimos ir provar uma deliciosa Zapiekanka... Mas o que é uma Zapiekanka?!

Era aqui que se vendiam as ditas Zapiekankas

Miejsce Polska

Ora bem, durante a nossa visita guiada com a Wioleta, foi-nos apresentada a praça nova. No centro dessa praça há um edifício circular onde se vende a melhor Zapiekanka de Cracóvia! A Zapiekanka é uma espécie de baguete comprida com queijo derretido e cogumelos apenas (a tradicional), mas pode levar também outros ingredientes por cima. O Pio escolheu Zapiekanka com atum e maionese, e eu com cebola e ketchup. Adorámos! O bom da Zapiekanka é que vem acabadinha de sair do forno, parece uma pizza com massa estaladiça mas o pior é que temos que comê-la sem luvas, ou seja ficámos com os dedos dolorosamente congelados enquanto comíamos a dita. Está aprovada a Zapiekanka, aqui fica uma foto para poderem invejá-la:
Pensamento do dia: Obrigado Wioleta por nos mostrares o que há de bom em Cracóvia!

sábado, 17 de outubro de 2009

Parque Nacional de Ojców (lê-se Óitssúv aha)

Então hoje foi dia de passeio! Acordámos cedinho para dar tempo para tomar o pequeno-almoço, ir à Biedronka (o minimercado que está ao lado da residência) comprar ovos e tomate para fazer as sandes para o almoço e apanhar o autocarro até à estação dos minibus. Chegámos lá e fomos comprar um Brezen com sementes e sabor a oregãos, do melhor para aguentar a fomeca. Meia hora de viagem depois, já estávamos em Ojców. Aquilo tinha bastante neve e estava francamente mais frio que em Cracóvia mas como as folhas de outono ainda se aguentavam nas árvores, deixavam a paisagem muito bonita e colorida!
Uma coisa especial neste parque é as formações calcárias com formas incríveis e infelizmente não pudémos ir à maior de todas que tem por nome o Hercule's Club, ou então em Português, o "Calhau lá do Hércules".
Fomos a um castelo em ruínas e tentámos ir ver uma gruta que devido ao mau tempo estava fechada mas o caminho até lá compensou largamente! Depois de fazermos o percurso de volta até ao "centro" onde tínhamos saído do minibus vimos que ainda faltava cerca de 2h para vir o próximo, por isso fomos por aí andar a pé mais devagar, a tentar fazer tempo. Foi aí que enregelámos mesmo a sério! E ter andado a fazer bolas de neve para atirar à Patrícia e por isso ter as luvas todas molhadas não ajudou mesmo nada!
No caminho dormimos todos tortos no minibus e quando chegámos, como a vontade para ir cozinhar era hum... zero? Fomos ao Galeria comer umas tretinhas fritas no KFC.
Chegados à Resi (Adriana style ;) descobrimos que nos roubaram o detergente da loiça e usaram a nossa esponja só porque eu me esqueci dela hoje de manhã na cozinha! "Agarrem que é ladrão!!"

Miejsce Polska

Não querendo de forma alguma acusar todos os Polacos mas temos observado uma tendência irritante quando estamos nas filas de espera. É que ou por sermos estrangeiros ou seja lá porque motivo fôr, estão constantemente a tentar passar-nos discaradamente à frente! E quando digo discaradamente é do género aparecem do nada e pôem-se à nossa frente, avançando milímetro a milímetro até que quando chega a nossa vez, avançam num instante para serem atendidos primeiro! O que vale é que eu já não aturo essas tretas e na hora em que eles tentam fazer o ataque eu faço peixeirada à boa maneira portuguesa! Na verdade em Portugal o tipo nem sequer podia pensar em passar à frente porque as velhotas começariam todas a dizer "Oh menino a fila é lá atrás!"

Mais uma vez saliento, não estou a acusar todos os Polacos porque isto só aconteceu umas duas ou três vezes em todas as filas em que já estivémos!

Pensamento do Dia: Parar é morrer! Isto ainda é mais verdade quando estás no meio da neve.