domingo, 13 de dezembro de 2009

Saída de Campo de Ornitologia

Sexta-feira
De manhã estávamos na aula com a Ewa e a certa altura ela passa-nos uns folhetos de uma pizzaria para as mãos. Disse-nos para escolhermos os ingredientes e aí pensámos que ela íamos fazer mais um jogo, tão típico dela, para aprendermos os ingredientes e afins mas afinal era mesmo para pedirmos uma pizza ali na aula! Tirámos à sorte e quem ficou de pedir a pizza foi a Anabelle e assim foi, pediu uma pizza que pouco depois vou entregue ali mesmo na sala! Todos comemos a pizza apesar de ainda ser um pouco cedo para almoço e depois da aula terminada fomos para casa fazer os preparativos para o fim-de-semana que se avizinhava.
Lá pelas 16 estávamos a chegar à estação de comboios onde nos encontrámos com o Kuba (o bacano que me tinha convidado por email e escreveu a dizer os pormenores). Com ele estava um grupo de uns 10 marmanjos e marmanjas e uns tripés e telescópios montados no chão que assinalavam bem a sua presença e intenção. Pouco depois já estávamos no comboio a meter conversa com o Kuba e uma senhora polaca que se fartava de viajar para a Tailândia e que nos contou um bocadinho da sua vida. A viagem inteira só falámos com o Kuba porque todos os outros se sentaram noutros bancos mais longe mas mesmo assim passou-se depressa e bem.
Já no centro desportivo onde íamos passar as duas noites, fiquei com a Patrícia e mais dois bacanos, um chamado Piotr e outro Erasmus :P
Depois do jantar fomos ver uma apresentação que o Sławek fez sobre aves aquáticas que poderíamos ver no dia seguinte. Aí fiquei a saber que o Kuba sabia os nomes científicos e praticamente quase tudo o que havia para saber sobre aves!
A noite não se passou bem porque o nosso querido Piotr bebeu tanta cerveja durante a apresentação que se fartou de levantar para ir vomitar. A cama também não era muito famosa e fartei-me de tossir por causa do pó mas paciência!
Sábado
Sábado de manhã pusémo-nos em marcha para o campo por volta das 8h30/9h, depois do pequeno almoço e de um cházinho para aquecer! Nevou durante todo o dia, apesar de pouco, mas não fomos apanhados de surpresa! Aqui quando dizem que vai nevar nunca se enganam! Andámos a pé durante algum tempo, e fomos ter a um grande lago artificial que serve para abastecer a população local. Nesse lago deveriamos encontrar imensas aves, mas infelizmente não vimos muita variedade! O que nos deixou fascinados foi a quantidade de vestígios deixados por castores, mesmo ali ao pé (infelizmente não vimos nenhum porque eles são muito envergonhados, mas vimos tocas e vestígios frescos!).
Troncos de árvore roídos pelos castores.
O caminho estava todo esburacado pelos javalis.
O pior de todo o fim-de-semana foi mesmo o frio! Estava a nevar, o que significa que estavam temperaturas negativas (não sabemos quanto), e como para observar aves temos que estar parados, perdiamos muito calor, e ficávamos com frio!
Depois do lago entrámos numa floresta a caminho de casa, e deu para ver alguns passeriformes. As aves que gostei mais de ver não foram as que encontrámos no lago, mas sim no caminho até lá, muitos Dom Fafe e um pica-pau bastante perto!
Nenhuma das fotos é minha.
A ideia foi só mostrar os passarocos para ser mais do que um nome.
No fim da saída de campo, fomos até um restaurante “almoçar” (por volta da 15h) com o Kuba, o Piotr, o Sławek e um botânico levado da breca que não chegámos a saber o nome! (oops!). Depois voltámos para o centro desportivo, e à noite vimos 2 documentários sobre aves (um episódio da “Vida das aves” do David Attenborough e um documentário polaco sobre anilhagem de aves durante a migração de aves no mar báltico). No final do dia percebemos que o Kuba deve ser sobre-dotado, porque nunca se enganava no nome das espécies, e além disso conhecia tanto aves, como plantas, como mamíferos, mamíferos marinhos e peixes pelo nome científico!!
Domingo
Saímos mais tarde para o campo e antes disso arrumámos a tralha toda. O Sławek conseguiu arranjar uma camioneta que nos levasse ao local, caso contrário teríamos de caminhar durante cerca de 2horas até ao local de observação. Quando chegámos ao local, tivémos de ir a pé por entre um descampado e depois uma floresta até alcançarmos um outro lago enorme. Hoje tivémos mais sorte que ontem, conseguimos observar mais espécies, mas apesar de tudo eles ficaram bastante desiludidos, pois no ano passado fizeram o mesmo percurso e conseguiram observar muito mais espécies! De qualquer das formas, nós gostámos muito, apesar do frio!
Miejsce Polska
Não é bem um Miejsce Polska, é só uma curiosidade! Quando nos apresentámos ao pessoal, eles diziam o nome deles traduzido para inglês! Aconteceu-nos 3 vezes! Por exemplo, o Piotr disse que se chamava Peter, a Katarzyna (ou Kasia) dizia que se chamava Kate e o Mateusz apresentou-se como Mathew! Na verdade, há um colega lá do laboratório que se chama Grzegorz e que disse que se chamava Gregory... Só agora é que associei!
Pensamento do Dia:
Queixámo-nos imenso do frio, principalmente quando estava ventinho. Pois imaginem que nos foram convidar para uma saída de campo em Fevereiro (!!) para o mar Báltico (!!!!)!! Ou seja, ir apanhar com a nortada num dos meses mais frios do Inverno polaco! Pois é... Por um lado adorávamos ir, por outro achamos que não temos condições para sobreviver ao frio durante a estadia! O que nos aconselham?

3 comentários:

  1. não morram :o
    fiquem no 'quentinho' a pedir mais pizas do capitão nemo!

    ResponderEliminar
  2. Já que vens agora a Pt levas o fato de mergulho!

    ResponderEliminar